É possível entregar 100% dos e-mails? - All iN

É possível entregar 100% dos e-mails?

No mercado brasileiro de e-mail marketing é normal ouvirmos falar de ferramentas que prometem taxas de entrega de 100% e infelizmente é ainda mais normal vermos empresas que contratam e-mail marketing acreditando neste tipo de afirmação.

Infelizmente aqui no Brasil poucas ferramentas conhecem estudos e relatórios feitos por empresas responsáveis pelo monitoramento global do trafego de e-mail marketing, ou quando conhecem fazem questão de não divulgar.

A Return-Path, empresa no ramo de monitoramento do trafego global de e-mail marketing, divulga anualmente relatórios sobre o que ocorre com a entrega do e-mail marketing legitimo na America do Norte, Europa e Ásia. Infelizmente estes dados são constantemente ignorados por empresas fornecedoras de e-mail marketing no Brasil e esta negligencia muitas vezes transforma essas empresas em empresas pouco competitivas no mercado.

O principio é simples, se alguém entende que é difícil entregar e-mail marketing, ela sempre irá se esforçar para ter taxas de entrega e entregas na caixa de entrada cada vez maiores. Simples não? Não, não é tão fácil, entregar e-mails tem se transformado em algo cada vez mais difícil e estes relatórios globais são ferramentas importantes para entendermos sempre aonde melhorar.

No estudo da SenderScore é possível verificar que no segundo semestre na America do Norte houve uma taxa de 20% de e-mails na caixa de spam ou perdidos.

Isso mesmo, os e-mails comerciais legítimos, no segundo semestre de 2009, apresentou uma taxa de entrega na caixa de entrada de apenas 80% nos Estados Unidos e Canadá. Este dado representa um ligeiro aumento em relação ao primeiro semestre de 2009. O percentual de entrega na caixa de spam manteve-se estável, mas 16% dos e-mails válidos foram perdidos entre Julho e Dezembro, uma pequena diminuição quando comparado com o período anterior.

Quando olhamos os mesmos dados na Europa, percebemos que eles possuem números um pouco melhores, chegando a 85% de entrega na caixa de entrada, 3,6% na caixa de spam e 11% de e-mails que simplesmente se perderam antes de chegar ao seu destinatário.

Agora quando analisamos os números dos países que fazem parte da Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (ASIA-PACIFIC), podemos perceber números melhores que os últimos dois continentes.  Eles obtiveram uma taxa de 86,9% de e-mails na caixa de entrada, 3% na caixa de spam e 10,7% perdidos.

Podemos verificar estes dados de forma mais clara conforme os gráficos abaixo:

É possível verificar também as informações nos países de maior penetração na Europa e America do Norte.

O Relatório de 2009 sobre o trafego de e-mail marketing global também informa dados sobre o e-mail marketing enviado para endereços B2B, ou seja, email marketing enviado para endereços corporativos. Entrar na caixa de entrada destes endereços tem sido cada vez mais difícil, pois elas estão protegidas por sistemas como o Postini, Symantec e MessageLabs. Estes filtros normalmente são configurados com um nível de proteção bem elevado. Neste tipo de endereço, apenas 75,2% dos e-mails foram entregues na caixa de entrada no segundo semestre, enquanto 5,7% caíram na caixa de spam e 19,1% entraram na caixa de spam.

No gráfico abaixo é possível analisarmos também as taxas de entregas individualmente por provedores nos Estados Unidos.

 

O Mito da taxa de entrega: Os remetentes, em geral analisam a taxa de entrega como um número importante, mas manter a base higienizada é importante apenas para melhorar a reputação.Os relatórios acima foram desenvolvidos pela Return-Path analisando os números de mensagens enviadas para endereços válidos. O que todos precisam realmente entender é a sua taxa de entrega na caixa de entrada (IPR). Evidentemente que melhorando a taxa de entrega, a reputação tende a melhorar por causa da diminuição de envio para endereços inexistentes, assim a IPR irá melhorar no longo prazo.

Mudar é difícil: Muitos remetentes ainda são resistentes à aplicação das melhores práticas que transformam a entrega do e-mail mais provável e mais consistente. Continuamos a ver estratégias com alta freqüência, baixo valor e pouca segmentação.

Conclusão: Como pudemos perceber nos dados acima, entregar e-mail marketing é algo complexo e difícil e necessita de um aprimoramento constante para atingir taxas cada vez maiores. Por isso é sempre importante estar aderente as melhores práticas, evitar o envio de spam, evitar entrar em blacklists, simplificar o processo de optout, utilizar o Double Optin, manter a base higienizada sempre, analisar as taxas de reclamação de spam e adotar estratégias que aumentem as taxas de abertura e clique e adotar ferramentas que entendem que entregar e-mail é cada vez mais difícil e que trabalhem na entrega com seriedade no lugar de apenas prometer entregar 100% dos e-mails e acreditar que isso irá ocorrer.

Nós da Allin Mail trabalhamos sempre perseguindo as melhores taxas do mercado. Acreditamos que somente assim conseguiremos manter uma real competitividade para nós e nossos clientes. É por isso que o nosso perfil é de manter sempre as melhores práticas com ética e firmeza em não aceitar spammers em nossa rede.

Abraços,
Michel Araújo
CTO ALLIN MAIL

Link: http://www.allinmail.com.br

Comunicação All In Mail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *