Comportamento do consumidor online: o que mudou nos últimos anos? - All iN

Comportamento do consumidor online: o que mudou nos últimos anos?

Pode ser clichê afirmar que a internet revolucionou o mundo, mas essa é uma verdade. As modificações podem ser vistas em muitos aspectos, inclusive no comportamento do consumidor online. Porém, o que efetivamente mudou nesse sentido?

Praticamente tudo. Enquanto antes as compras eram feitas em lojas físicas, hoje o consumidor pesquisa na internet e fecha negócio em um e-commerce. Nesse cenário, conseguir se destacar é essencial para atrair, reter e fidelizar clientes.

Por isso, é fundamental estar atento às mudanças e se adequar às novas demandas para garantir que as necessidades dos compradores sejam atendidas. Como fazer isso? Neste post vamos apresentar algumas características dos consumidores online que ajudarão a definir o que fazer em seu negócio.

Então, que tal compreender melhor esse assunto?

O comportamento do consumidor online

Se antigamente a publicidade focava exclusivamente em produtos e serviços, e o marketing era embasado em jingles, frases impactantes e slogans, hoje o consumidor quer mais. Com a popularização da internet, o poder mudou de mãos e passou para os compradores, que agora têm a decisão sobre o que desejam, pesquisam, compram e agem em relação a um item, marca ou empresa.

Diante desse contexto, fica claro que as empresas precisam evoluir. Atualmente, já existem várias técnicas que ajudam a atingir esse propósito. Uma delas, que já falamos um pouco aqui, é o neuromarketing, que considera 3 fatores que impactam o comportamento do consumidor:

  • psicológico: envolve a percepção de uma necessidade, a capacidade da pessoa de captar e aprender uma informação e suas ações;
  • emocional: relaciona-se à maneira como cada indivíduo toma decisões. Os itens que influenciam são variados, como gênero, idade, cultura, antecedentes etc.;
  • social: são os elementos que abrangem amigos, família, grupos dos quais o sujeito participa e trabalho. Ainda se referem a condições de vida, renda, escolaridade e classe social.

A partir da identificação do comportamento de cada indivíduo, é possível realizar uma segmentação por grupos de interesse para direcionar as estratégias e criar campanhas específicas. Da mesma forma, é necessário perceber que a opinião positiva de outras pessoas interfere diretamente na decisão de compra — em outras palavras, a propaganda boca a boca agora é feita no mundo virtual.

Outra atitude já tomada pelas empresas é a evolução dos meios de atendimento, que ajudam a aproximar o contato com o público. Em relação aos canais de comunicação, eles são variados e podem ser diretos ou indiretos. Entre aqueles que estão disponíveis estão: mídias sociais, aplicativos, blogs, site, loja virtual e física, chat, e-mail e por aí vai.

O que falta, em alguns casos, é a marca adequar esses canais à jornada de compra do consumidor. O ideal é trabalhar no formato omnichannel, que prevê o atendimento em diferentes meios. Assim, é possível contemplar topo, meio e fundo de funil. Ou seja, com isso a empresa consegue direcionar as campanhas certas, nos momentos adequados ao potencial cliente, utilizando as ferramentas corretas.

As características que mudaram nos últimos anos

O entendimento do contexto apresentado permite trabalhar as características atuais dos hábitos dos consumidores. Veja quais são as principais e como você pode aproveitá-las a favor da sua marca.

Preferência por compras online

Essa questão é bastante evidente e se reflete em dados do comércio eletrônico no país. De acordo com previsões da Ebit, divulgadas no site E-commerce Brasil, o setor deveria fechar 2017 com um faturamento de R$ 15,7 bilhões.

Em 2016, a pesquisa 35ª Webshoppers, também da Ebit, ainda apresentou que o crescimento nominal do faturamento do comércio eletrônico no Brasil havia chegado a 7,4%.

Além disso, o relatório global Mobile Payment Journey, que teve dados publicados no site E-commerce News, apontou que 78% dos consumidores preferem comprar por meio de aplicativos para dispositivos móveis — um percentual acima da média mundial.

Outra informação interessante desse mesmo levantamento foi o fato de 53% dos brasileiros preferirem pagar mais por um produto ou serviço se tiverem uma experiência de compra aprimorada. Então, aproveite essa oportunidade e use a seu favor!

Desejo por customização

A personalização é a busca incessante do consumidor online. Ele se sente único e deve ser tratado como tal. Afinal, aquela ideia de que um item servirá para todos é ultrapassada e caiu em desuso há alguns anos. Além disso, esse é um elemento de diferenciação, que faz o seu negócio conquistar vantagem competitiva.

Nesse sentido, a customização se refere a locais de compra, adaptação do produto à necessidade do cliente, direcionamento de campanhas e vários outros vieses. Perceba que as ofertas massificadas proporcionadas por algumas empresas agregam pouco valor — e é nesse aspecto que você deve se diferenciar.

Uma abordagem interessante para essa estratégia é o e-mail marketing. Por meio dele é possível nutrir os potenciais clientes e acompanhá-los em sua jornada até tomarem a decisão de compra. Os conteúdos também são personalizados, porque os consumidores devem ser segmentados de acordo com seus interesses, demandas e características em comum.

Assim, é possível direcionar a estratégia para cada etapa e ativar um fluxo que seja condizente com as dores do cliente. Dessa maneira, sua empresa consegue atender à necessidade gerada e ainda pode usar ferramentas inteligentes de e-mail e automação de marketing.

Necessidade de atendimento humanizado

A sua abordagem deve ultrapassar o nível das vendas e realmente estabelecer uma comunicação. O objetivo é sempre informar sobre um produto, indicar como ele deve ser utilizado (para melhorar os resultados obtidos), ouvir reclamações e sugestões e ajustar o que for necessário sem usar um discurso formal.

O propósito é compreender exatamente o que o usuário precisa e oferecer a solução adequada. Interaja frequentemente com o consumidor por meio de canais tradicionais e digitais. Indique como o problema está sendo resolvido e demonstre preocupação. Lembre-se: o consumidor deseja encontrar uma empresa que o considere verdadeiramente especial.

Busca por opiniões de outros consumidores

Essa é uma das características principais do comportamento do comprador online atual. Com uma rápida pesquisa na internet, ele consegue obter várias informações e feedbacks de diferentes pessoas, que indicam se a marca e o produto/serviço são adequados para resolver sua dor.

Por isso, tente responder todos os questionamentos e reclamações. Use plataformas de comunicação e esteja disponível para solucionar os problemas. Essa atitude pode até transformar um consumidor insatisfeito em um cliente.

Comparação de informações

O usuário tem o poder de fazer pesquisas em diferentes sites e comparar preços, características, qualidade e outros aspectos importantes. Ou seja, a informação é tudo — e você tem o poder de fornecê-la para gerar autoridade.

Aproveite essa peculiaridade como vantagem competitiva e indique o que ele precisa. Você pode fazer isso por meio de diversas estratégias, especialmente pelo e-mail marketing, porque nesse caso tem a autorização do cliente para iniciar a conversa. Esse detalhe faz toda a diferença e ajuda a aumentar a taxa de conversão.

Em resumo, o comportamento do consumidor online mudou bastante, mas sua empresa já pode se adequar e oferecer o que ele precisa. Com as sugestões que passamos, fica muito mais fácil obter melhores resultados.

Quer saber mais sobre as soluções da All iN? Acesse nosso site!

Além disso, leia também sobre o nosso guia da Black Friday!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *